Meu perfil
BRASIL, Sudeste, ECHAPORA, centro, Mulher, de 56 a 65 anos, Arte e cultura, Livros
MSN -




Arquivos

    Categorias
    Todas as mensagens
     viagem
     relações afetivas
     notícias da mídia
     religiosidade
     cronicas

    Votação
     Dê uma nota para meu blog

    Outros links
     UOL - O melhor conteúdo
     BOL - E-mail grátis
     blog da angela
     blog da silvanety
     MINHA PASTA MAIS
     blog do alberto
     alberto pasta mais
     blog do Miguel
     blog do leo
     blog da ana miranda
     blog da magui
     blog da imaculada cintra
     blog da rosely sayao
     blog da carrie
     blog da bela
     blog da Dri
     blog da américa
     blog do Emídio
     blog da Claudete
     blog do fábio
     Blog da Anna Fernandes
     blog da bete
     blog da nilcéia
     blog da janaina
     blog da marizete
     blog da AFRODITE
     blog da beth -uma mulher que sabe o que quer
     blog da talyta
     blog da vivian- flores
     blog do roberto alexandre
     cronicas do Gauli




    UOL

    Blog de edimeli
     


     
     

    Minha casa...meu cantinho...meu refúgio

     

     

    Minha casa...Meu cantinho....Meu refúgio

     

    Não sei se você pensa como eu. Mas para mim “dormir na minha cama” é um dos  pequenos prazeres que  a vida me oferece.

    No decorrer de minha vida já tive oportunidade de experimentar dormir em várias camas, em passeios esporádicos que fiz.. Mas quando volto....Ah! que delícia é dormir no “meu colchão”, na “minha cama”. Que falta eu  senti  dela!

    Depois de 5 dias fora de casa, hoje foi o 1º amanhecer no meu quarto, na minha cama....Saboreei ao máximo este momento.

    O despertar foi tranqüilo! Silencioso. Como é bom o silêncio! Não levantei de imediato. Meu corpo pedia mais repouso, como se quisesse compensar a ausência de dias atrás. Involuntariamente meus olhos se fecharam novamente e eu deixei-me ficar ali.... Curtindo aquele momento só meu.

    O som da colher de pedreiro de Seu Osvaldo, atrás da casa, me trouxe de volta à realidade.

    O banho foi reconfortante. A água cálida! A espuma perfumada! A esponja macia! A toalha me envolvendo...

    Como é bom estar em casa e poder desfrutar desses pequenos prazeres sem me preocupar em incomodar ninguém. Ficar relaxada. Dona de mim. Da minha privacidade. Do meu sossego....

    Gosto dos pequenos prazeres que a quietude do meu lar oferece no dia a dia.Poder usufruir do ficar em silêncio, quieta no meu canto apenas pensando, lendo um bom livro ou colocando no papel minhas idéias.

    Posso parecer egoísta quando repito sempre “minha casa’, “meu quarto”, “minha cama”, “meu banheiro”....Mas não é no sentido de posse, e sim no sentido de privacidade prazerosa que eles me proporcionam.

    Sempre fui assim. Caseira. Gosto muito do “meu cantinho”, mas ultimamente esse sentimento de “apreciar ficar quieta no meu canto” tem se tornado mais arraigado.

    Pode ser uma questão de idade. E se for, ótimo. Aprecio ter a idade que tenho.Além de outras vantagens, ela me trouxe a consciência de pequenos prazeres cotidianos que na juventude que  eu não vislumbrava.

    Quando jovens procuramos prazeres de forma complicada, muitas vezes inconveniente. Muitos até procuram prazeres escusos. E se perdem.Eu, felizmente não me perdi ....ainda! Mas agora..... O que eu quero é me afogar, me perder nestes pequenos prazeres do cotidiano....

     

     

    “A beleza de nossa vida está no cotidiano, nas coisas ordinárias

                                Adélia Prado                                                    29/12/2009

     

     

     



    Categoria: viagem
    Escrito por edimeli às 14h54
    [] [envie esta mensagem
    ] []





     
     

    Viagem de volta

    Viagem de volta

     

    Organizar uma viagem sempre me deixa muito ansiosa. Ansiedade na ida e também ansiedade na volta.

    Não sou dessas  pessoas que se entusiasmam com as viagens. Prefiro a quietude, a tranqüilidade de minha casa. Mas vez ou outra quebro a rotina e vou visitar minha filha.

    O trânsito caótico de nossos dias, a falta de responsabilidade e imprudência dos motoristas nas estradas, talvez sejam a causa de minha apreensão.

    Pode parecer pessimismo de minha parte, mas é assim que me sinto. Em casa me sinto mais segura.Não sou aventureira. Gosto de casa, de tranqüilidade.

    Ultimamente a linha Marília-Goiânia tem sido alvo de ataques noturnos de bandidos, combinados com seqüestros relâmpagos de seus ônibus e passageiros. Tudo acontece ali pelo trecho do triângulo mineiro.

    Embarcar no ônibus de volta à Marília, foi para mim como estar assinando minha própria condenação. Não conseguindo passagem diurna, fui forçada a comprar passagem para viagem noturna. Um ótimo horário para uma viagem tão longa, não fosse  o perigo de assaltos.

    As empresas tem se precavido e organizado as viagens em  comboio.Saber disso só me preocupou mais. Foi como uma constatação de que realmente o trecho é perigoso e que corríamos o risco de sermos surpreendidos inesperadamente. Mesmo tomando todas as precauções, nunca se sabe. Hoje em dia os bandidos são ousados demais.

    A viagem quase toda fiquei  inquieta e preocupada temendo um ataque surpresa.

    Foi com grande alívio que vi o trecho visado ficar para trás.

    Alívio total mesmo foi só ao desembarcar em Marília.

    Em menos de uma hora estaria em casa. Já respirava o ar doméstico e familiar. Sentia o cheiro de casa....

    È muito bom voltar para casa!

     

    29/12/2009    17:50:55

     

    “Enquanto as “pessoas do mal” se unem na busca de interesses comuns, as “pessoas do bem” tendem a se dissipar. Ficam acuadas, trancafiadas, perdem sua função social e de organização e acabam por adoecer

                                (mentes perigosas – Ana beatriz Barbosa Silva)



    Categoria: viagem
    Escrito por edimeli às 14h28
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    Ebulição

     

    Ebulição

     

    31 de dezembro! Último dia do ano!

    Ao pé do fogão preparo um creme para sobremesa.

    A colher de pau remexendo cuidadosamente a panela.

    Distraída remexo também o interior de minha alma.

    Gratidão ...pela vida preservada.Pronta para colaborar na construção de um mundo melhor. Penso na consciência que devemos ter de nossa responsabilidade como agentes construtores e promotores da paz. Falamos tanto em paz , mas será que verdadeiramente trabalhamos por ela?  Posso não fazer coisas extraordinárias, mas posso fazer extraordinariamente bem as coisas ordinárias.

    Sonhos...projetos...esperanças...

    Idéias em ebulição. Como o creme, que num momento de abstração transbordou pelas bordas da panela. E me trouxe de volta à realidade.

    O creme em ebulição é como a alma que muitas vezes também entra em ebulição.  Alma em ebulição pode trazer confusão de idéias, atitudes erradas, comportamentos impulsivos, palavras exasperadas... E palavras proferidas assim podem machucar. Deixam marcas difíceis de reverter. Palavras mal proferidas não tem volta.

    É preciso cuidar para que as emoções não extravasem. Não se transformem em ira.

    Ira mal conduzida pode levar a estragos também irreversíveis.

    E seguindo essa linha de pensamento, reflito que em tudo que se faz “o cuidar é imprescindível.

    E também......

    Há que se cuidar da ALMA...

    Há que se cuidar da VIDA...

    Há que se cuidar do MUNDO....

     

            

    “Lembra-te de que falando ou silenciando sempre é possível fazer algum bem”.

    2/1/2010

     

     

     

     



    Escrito por edimeli às 15h30
    [] [envie esta mensagem
    ] []



     
      [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]