Meu perfil
BRASIL, Sudeste, ECHAPORA, centro, Mulher, de 56 a 65 anos, Arte e cultura, Livros
MSN -




Arquivos

    Categorias
    Todas as mensagens
     viagem
     relações afetivas
     notícias da mídia
     religiosidade
     cronicas

    Votação
     Dê uma nota para meu blog

    Outros links
     UOL - O melhor conteúdo
     BOL - E-mail grátis
     blog da angela
     blog da silvanety
     MINHA PASTA MAIS
     blog do alberto
     alberto pasta mais
     blog do Miguel
     blog do leo
     blog da ana miranda
     blog da magui
     blog da imaculada cintra
     blog da rosely sayao
     blog da carrie
     blog da bela
     blog da Dri
     blog da américa
     blog do Emídio
     blog da Claudete
     blog do fábio
     Blog da Anna Fernandes
     blog da bete
     blog da nilcéia
     blog da janaina
     blog da marizete
     blog da AFRODITE
     blog da beth -uma mulher que sabe o que quer
     blog da talyta
     blog da vivian- flores
     blog do roberto alexandre
     cronicas do Gauli




    UOL

    Blog de edimeli
     


     
     

    Vencendo etapas

     

    Vencendo Etapas


    Trinta dias se passaram desde o dia em que vi bruscamente minha rotina ser interrompida.

    Puxa, meio caminho andado.. eu nem acredito...

    Um tempo difícil em que experimentei diversas emoções.

    Dias de infinita tristeza e desânimo...dias mais sombrios e outros mais esperançosos.

    Dias em que as ideias turbilhonavam.

    Outros em que a mente parecia uma folha de papel em branco. Nenhuma inspiração . E mesmo , nenhuma vontade de buscá-la.

    Recaídas que podem ser consideradas perfeitamente normais. Elas fazem parte do atual quadro em que manter estabilidade de emoções é praticamente impossível. Mas mesmo diante dos piores dias eu sempre coloquei fé e confiança no amanhã como sustentáculos de meus dias.

    É difícil manter a serenidade num momento desses. Mesmo com todo apoio afetivo, espiritual ou físico que tenhamos, o fantasma da dúvida e da insegurança sempre aparece para nos abater.

    Mas, segundo dizem, a idade nos traz essa dita “sabedoria” em se pautar na paciência e aceitar ser protagonista da própria história.

    Mas a minha “sabedoria acumulada”, se é que assim posso chamá-la, em algum lugar falhou. Acabei sendo vítima de meus próprios conhecimentos e informações. Alguma lição não foi bem passada...

    Bem, mas sonhos são interrompidos todos os dias. E apesar da angústia, das dúvidas e até da dor, a vida precisa continuar.. Eu devo plantar o meu jardim...e cada flor colhida certamente terá o seu perfume peculiar.

    A imagem que o espelho me mostra não é a mais a mesma. Mais abatida, olhar indagador. Alguns quilos a menos. Poucos, mas o suficiente para me definhar. Sou aquele tipo de pessoa difícil de ganhar uns gramas, mas que ao menor desconforto perde quilos.

    A atrofia na perna já é visível. Isto já era esperado, o que se atribui à agressão provocada pela cirurgia e pela falta de apoio. Recuperá-la exigirá tempo e paciência.

    Recuperar músculos no meu caso demanda tempo. E depois, esse período de inatividade, esse recolhimento forçado não será nada benéfico na minha faixa etária. "Não somos como ursos, que emergem de meses de hibernação com sua musculatura intacta".

    Mas tudo tem seu momento, E agora a prioridade é se recuperar bem, para recomeçar a andar.

    A massa muscular e sua tonicidade será consequência do andar, do apoiar o pé no chão, da volta às atividades diárias.

    Sei que será tudo muito lento e gradativo. Será um novo recomeço.

    Afinal foram anos de uma rotina diária em busca de resultados que me levassem a um estilo de vida saudável. Em busca de um envelhecimento desvinculado de doenças e que me desse uma certa independência física.

    E num piscar de olhos, tudo volta à estaca zero... Flexibilidade, resistência, equilíbrio, postura... músculos.... Tudo comprometido.

    A ideia era ir sempre em frente.  Não retroceder.

    Mas, enfim, não se pode ganhar sempre...

    Eu tenho que concordar...Perder, faz parte da vida. O importante é levantar e continuar.

    Um passo de cada vez...

     



    Categoria: cronicas
    Escrito por edimeli às 18h38
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    energia positiva X energia negativa

     

    Energia negativa X energia positiva


    Durante esta semana um fato ocorrido me levou a refletir e buscar explicações sobre essa questão da energia que pode emanar do ser humano.

    Visitei vários sites, li diversas opiniões, relatos de experiências e percebi uma certa unanimidade nesse sentido de que dependendo do estilo de vida das pessoas, podemos emitir energias positivas ou negativas. Somos seres vibratórios e, portanto, emitimos energias.

    Há pessoas que podem nos transmitir paz, tranquilidade e sentimos prazer em estar com elas.

    Se cultivam maledicências, ódio, rancor, inveja, pessimismo podem estar carregadas de energia negativa. E o interessante é que muitas vezes nem tem consciência do mal que emanam.

    O olhar é poderoso no sentido de emitir energias. Um olhar pode abençoar, curar, levantar o ânimo , otimizar. Mas alguns tem um olhar tão pesado que chegam a matar plantas, tal o poder negativo que emana de seu olhar. Um olhar de falsa admiração ou cobiça pelo sucesso do outro também pode provocar estragos profundos na pessoa a que foi direcionado.

    Precisamos nos cercar de uma aura de proteção cultivando posturas positivas de fé e oração para impedir que a energia negativa das pessoas nos atinja. Cultivar o bom humor, o otimismo, a alegria e o pensamento positivo também sevem de escudo.

    Sugestões de simpatias com banhos em que entram elementos como sal grosso, pétalas brancas ou essências aromáticas são oferecidas como medidas de proteção.

    Outros se calçam com talismãs, pedras coloridas, cristais e mesmo plantas colocadas estrategicamente dentro de casa ou em ambientes que sugerem cobiça ou mau olhado.

    Nunca dei muita atenção a essas crendices, ao que sempre considerei superstição.

    Não sou supersticiosa e quanto a me proteger, procuro manter meu lado espiritual saudável através da oração. No meu entender, a força maior continua sendo Deus. E quanto aos mantras sugeridos, eu ainda prefiro os mantras bíblicos, como o salmo 23 ou o salmo 90, que considero poderosíssimos desde que feitos em perfeita consonância com Deus.

    Algumas pessoas são mais susceptíveis a captar essas energias negativas. Ou porque são mais sensíveis ou porque se achem mais fragilizadas no momento e portanto favorecem a ocasião. “Nossa mente é como um imã que faz com que a gente atraia tudo que está disponível no astral e no ambiente, de acordo com nossa frequência. Se a frequência for positiva o processo é de limpeza e descompressão interior. Se a frequência for negativa viramos uma lixeira do astral e nos tornamos nosso próprio obsessor. “(Míriam Carvalho- terapeuta esotérica).

    E talvez tenha sido essa minha fragilidade do momento que fez com que eu estivesse exposta e vivenciasse essa experiência que relato abaixo.

     



     



    Escrito por edimeli às 18h42
    [] [envie esta mensagem
    ] []





     
     

    minha experiência com enegias negativas

     

     


    Minha experiência com energias negativas


    Nesta minha fase de recuperação pós acidente, considero normal alternar períodos de tristeza ou desânimo em oposição à alegria e otimismo que às vezes insistem em se afastar.

    Mas eu estava confiante! Os movimentos da perna estavam evoluindo bem. Nenhuma dor espontânea. Na ausência da dor e com os movimentos mais livres passei a dormir melhor , podendo me aconchegar melhor no leito.

    Mas reparem no tempo verbal: eu estava bem... os movimentos estavam evoluindo...

    Até que no domingo recebi a visita...

    O tempo todo em que a pessoa esteve presente, um mal estar tomou conta de mim. Sentia negatividade em tudo que falava. E também seu olhar não me agradou.

    Uma sensação assim de que estava decepcionada por me encontrar me recuperando tão bem.

    Eu me mantive firme e rebati todas suas ideias pessimistas que tentavam me derrubar. Minhas palavras eram só de fé e confiança numa eficiente recuperação, em contraponto ao que ela dizia.

    Após alguns minutos ela foi embora. Mas deixou no ar sua negatividade. Sugou tudo que eu tinha de mais saudável e positivo.

    O dia não foi mais o mesmo. Tudo parecia triste e sombrio. A tarde toda eu pensava no peso daquela visita e em como ela me deprimiu.

    Pode parecer coincidência, mas estranhamente logo na manhã seguinte eu senti o verdadeiro peso das energias negativas emanadas daquela pessoa.

    A noite foi insone. De manhã minha vontade era permanecer no leito. Ficar ali quietinha remoendo a minha tristeza. Uma vontade imensa de chorar. A dor havia voltado a incomodar. Durante a noite não conseguira me virar no leito. Qualquer movimento era penoso. Foi um dia difícil.

    Fiz uso da minha fé e de minhas orações. Pedi proteção ao meu anjo da guarda.

    Mas não deixei de sentir na pele a força poderosa dessas energias negativas que emanam do ser humano.

    Talvez vocês não concordem com minha interpretação para os fatos relatados e tudo não tenha passado mesmo de mera coincidência. Mas foi a única explicação que encontrei para o ocorrido.

     



    Categoria: relações afetivas
    Escrito por edimeli às 18h39
    [] [envie esta mensagem
    ] []





     
     

    Gadget de seguidores do blog

     

     

    Gadget de seguidores


    Olá pessoal! Hoje eu tenho uma novidade no blog.

    Durante esse período de postagens tenho me deparado com leitores que indagam como seguir meu blog. A partir daí a ideia de colocar uma gadget(caixa) de seguidores foi tomando forma.

    Mas como fazer? O uol não fornece essa ferramenta. E então foi preciso apelar para o google.

    E com a ajuda da ANGELA, minha amigona de Londrina, que é hábil conhecedora de HTML, pude concretizar a ideia.

    A ANGELA, muito prestativa verificou a configuração do meu blog, gentilmente me passou o “passo a passo” e lá está a caixa do lado esquerdo, logo abaixo do selo “blogs legais”

    ANGELA também já se encarregou de inaugurar o quadro de honra., como assim também o chamam.

    E agora, só falta vocês, meus queridos amigos leitores.

    Por favor, cadastrem-se...não deixem prá depois(Rssssss..)


    Sei que muitos já são meus seguidores, fiéis, os quais eu agradeço pela frequência com que visitam essa página e pelos comentários deixados. Posso dizer que são sempre muito bem vindos e que carinhosamente já podemos nos chamar de AMIGOS, pois o blog é um instrumento de grande eficácia no fortalecimento de amizades.

    Mas vou listar algumas razões para ser seguidor de um blog:


    Fidelização: ao seguir um blog você demonstra que gosta dos assuntos ali descritos. Juntando-se ao quadro você está demonstrando amizade e reconhecimento pelo trabalho do autor. E quem não gosta de ver seu trabalho reconhecido e seu esforço premiado? É a amizade fortalecida.

    Visualização: Constando do quadro de seguidores, você ganha visibilidade. Isso permite maior interação entre os participantes. Ou seja, você poderá visitar outras páginas e descobrir outros blogs interessantes.

    Visitas: ainda falando sobre a visualização, o inverso também é verdadeiro, pois poderá também aumentar seu número de visitantes.

    Ser seguidor também irá permitir que você seja seguido pelo autor..

    Enfim, seguir um blog pode ser vantajoso para ambas as partes: seguidor e seguido.

    Claro que honestidade e sinceridade devem nortear ambos os lados.


    Que cada um se sinta livre para optar entre seguir ou não.


    Porque mesmo não sendo seguidor, os comentários também favorecem mais visitas. Através dos comentários, acabamos tomando conhecimento de outros blogs e assim as visitas vão se sucedendo.

    De acordo com as pesquisas que fiz na net sobre seguidores, o Blogger possui um painel onde são registradas todas as atualizações do blog seguido.

    Isto significa que se o seguidor for do Blogger, ele naturalmente saberá quando o blog foi atualizado.

    O que não acontece com o uol que não possui essa ferramenta.

    Já tive leitor que me perguntou como saber quando atualizei meu blog e não pude dar a resposta. Fiquei devendo e perdi o leitor.

    E é isso aí! Agradeço a todos que estiveram comigo até então como leitores fiéis e espero contar com novos seguidores.

    Meu muito obrigada a todos .

    Obrigada a você ANGELA, que tornou possível mais essa inovação na minha página.

     

     



    Categoria: relações afetivas
    Escrito por edimeli às 17h24
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    Seja o Golfinho

    O texto abaixo é de autoria de Valter Cichini Jr., palestrista, participou de entrevistas ao vivo para a TV referentes a assuntos voltados ao autoconhecimento e qualidade de vida em geral. Possui artigos livres publicados em revistas e jornais nas áreas referidas acima.

    Aprecio particularmente este texto de sua autoria, que trata da complexidade das relações. Leia e dêixe sua opinião.

     

    Seja o Golfinho

    Buscamos sempre uma forma de entender as relações humanas e a partir desse entendimento melhorar nossa convivência com aqueles que nos cercam no dia  a  dia.

    Para dar luz a esse assunto fomos buscar inspiração na natureza e, talvez por ironia do destino, encontremos a inspiração justamente nas águas; afinal, sua simbologia relacionada a sentimentos e emoções é bem popular. Encontramos nesse ambiente três animais bem conhecidos por nós: o tubarão, a carpa e o golfinho, que se encaixaram muito bem nessa questão das relações humanas e deram origem à chamada Estratégia do Golfinho.

    Ao pensarmos em um tubarão logo imaginamos um animal voraz, agressivo que mostra suas presas afiadas e parte para cima da sua vítima sem piedade, seguindo apenas o seu instinto. Esse comportamento é bem semelhante ao de executivos ou profissionais altamente competitivos, assim como outras pessoas também.

    Continuando essa analogia entre essa imagem do tubarão e o comportamento humano, identificaremos algumas outras características que nos são familiares. Aquele que vive o seu momento tubarão costuma tentar impor sua vontade sobre a dos outros a todo custo, seja por intimidação, exercício de poder, dissimulação e manipulação, agressividade ou qualquer outra forma de imposição. Note que, nesses casos, não se ouve o outro lado da história, não há um diálogo e sim uma imposição de suas vontades e sentimentos perante o outro.

    Para conseguir seu intento nessa imposição, o tubarão pode usar mecanismos que vão desde mostrar claramente suas presas até métodos mais sofisticados, onde suas presas ficam escondidas, mas no momento certo ferem com destreza. O indivíduo tubarão acredita piamente que para ele conseguir algo, alguém tem que perder.

    Já quando observamos a carpa temos a situação oposta à do tubarão: ela demonstra medo, se escondendo pelos cantos. Ao realizarmos a ligação com os comportamentos humanos teremos pessoas que são inseguras, que não sabem dizer não, são resignadas, conformistas com a vida e chegam ao ponto de encontrar explicações bonitas, como atuação do carma, para justificar seus fracassos. Uma pessoa com comportamento carpa muito acentuado acaba tendo propensão a desenvolver depressão.

    É importante ressaltar que o tubarão também se fere assim como a carpa se defende, cada um dentro do seu contexto de comportamento. Outra coisa importante a frisar é que uma pessoa carpa em um relacionamento, pode ser tubarão em outro. Dessa forma todos podem ter seus momentos carpa e tubarão.

    No relacionamento de carpa-tubarão podemos imaginar rapidamente que o tubarão vai levar a melhor sempre, mas olhando essas relações com cuidado perceberemos que a carpa pode, mesmo estando “escondida”, se defender e com isso acaba ferindo o tubarão sem que ele descubra de onde veio o ataque.

    Nesse momento surge a grande dúvida: Qual caminho seguir? E a natureza sabiamente coloca à nossa frente o golfinho. Esse doce mamífero nos transmite criatividade, elegância, flexibilidade, inteligência, mas se precisar enfrentar um tubarão ele se mostra rápido e eficiente. No mar o tubarão que se atrever enfrentar um golfinho fatalmente morrerá.

    Assim como os golfinhos que sabem trilhar o caminho do meio com inteligência, elegância e flexibilidade, podemos pautar nossas vidas nesse sábio exemplo.

    Sejamos o golfinho!



    Escrito por edimeli às 16h17
    [] [envie esta mensagem
    ] []



     
      [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]