Meu perfil
BRASIL, Sudeste, ECHAPORA, centro, Mulher, de 56 a 65 anos, Arte e cultura, Livros
MSN -




Arquivos

    Categorias
    Todas as mensagens
     viagem
     relações afetivas
     notícias da mídia
     religiosidade
     cronicas

    Votação
     Dê uma nota para meu blog

    Outros links
     UOL - O melhor conteúdo
     BOL - E-mail grátis
     blog da angela
     blog da silvanety
     MINHA PASTA MAIS
     blog do alberto
     alberto pasta mais
     blog do Miguel
     blog do leo
     blog da ana miranda
     blog da magui
     blog da imaculada cintra
     blog da rosely sayao
     blog da carrie
     blog da bela
     blog da Dri
     blog da américa
     blog do Emídio
     blog da Claudete
     blog do fábio
     Blog da Anna Fernandes
     blog da bete
     blog da nilcéia
     blog da janaina
     blog da marizete
     blog da AFRODITE
     blog da beth -uma mulher que sabe o que quer
     blog da talyta
     blog da vivian- flores
     blog do roberto alexandre
     cronicas do Gauli




    UOL

    Blog de edimeli
     


     
     

    Casamento Real

     

    Casamento real

     

    Durante a última semana de abril, o casamento do Príncipe William e Kate Middleton,  ocupou todos os espaços da mídia.

    A noiva, plebéia, antes desconhecida e insignificante, de repente se tornou  figura obrigatória em todos os noticiários.

    Muito se diz sobre ela, mas acredito que de verdade mesmo, pouco se sabe. Há especulações de que seria uma moça esperta e calculista que arquitetou inteligentemente fisgar o príncipe .  Ou seria sua doçura e simplicidade que fizeram com que o príncipe a notasse e visse nela ares de nobreza até então desconhecidos aos menos perceptivos.

    O fato é que o olhar do príncipe dete ter sido muito mais profundo e ido além de seus belos olhos e lindo sorriso, o que é claro colaborou bastante.

    Seja qual for a razão, o fato é que o casamento se tornou verdadeiramente Real, por duas razões:

    REAL tendo em vista a REALEZA do noivo. E REAL pela REALIDADE da noiva.

    Criou-se uma expectativa geral em torno do evento.

    O suspense em torno do vestido de noiva de Kate, aguçou curiosidades, e surpreendeu a muitos pela simplicidade.

    Na última sexta-feira, Kate Middleton entrou para a Realeza em um vestido elegante, mas discreto, clássico e cheio de modernidade.

    O look branco  marfim discreto e com uma cauda tímida de “apenas” 2,70m só fez acentuar a sua beleza e destacar seu lindo sorriso.

    O véu leve e delicado, a transparência e rendas no colo e braços completou o visual chique. Uma prova de que beleza e elegância estão na simplicidade. E nem sempre opulência significa requinte. Tudo é questão de estilo.

    Destaque também para a mãe da noiva em seu traje clássico, elegante e discreto. Apesar da estravagância dos chapéus de várias convidadas, a mãe da noiva se sobressaiu pela escolha também discreta e mais dentro dos padrões de sobriedade e elegância. Um comportamento que também foi imitado pela irmã de Kate. Responsável por cuidar da cauda do vestido da noiva, sua figura discreta e elegante também mereceu destaque.

    Aparentemente Kate, agora princesa Catherine, ainda não se deixou ofuscar pelo brilho da Realeza.

    O protocolo também não foi quebrado pelo tão esperado beijo que selaria a união dos personagens do conto de fadas REAL. Nada de beijo cinematográfico. O que se viu foi um rápido selinho. Sempre a discrição.

    Do que vimos fica a imagem de Kate, seu olhar para o futuro, suas expectativas agora como membro da Família Real. Sua postura discreta e simpática passa imagem de mulher determinada , carismática e que sabe o que quer.  Uma mulher com sonhos desejos, ambições, vontades como qualquer outra mulher.  Um exemplo de garra e determinação.

    Como em todos os contos de fadas, vale dizer: “E viveram felizes para sempre”.

    Não temos bola de cristal, mas acredito que seja o desejo de muitos de seus súditos.

    Vale então dizer: “Que seja eterno enquanto dure...”

     



    Categoria: notícias da mídia
    Escrito por edimeli às 15h56
    [] [envie esta mensagem
    ] []





     
     

    Acessibilidade

     

    Acessibilidade

    Dias atrás fui ao Centro de Radiologia para um RX de avaliação ortopédica pós cirúgica.

    Já de início as dificuldades se fizeram presente. Na clínica médica especializada para o exame, a inexistência de vaga para estacionamento impossibilitou a parada.

    Todas as vagas na frente da clínica estavam preenchidas e o estacionamento mais próximo ficava na esquina logo abaixo.

    Uma distância relativamente curta, mas totalmente inviável para mim no momento com mobilidade reduzida. A calçada irregular e esburacada não oferecia segurança.

    Senti na pele o direito à acessibilidade negado.

    Felizmente minha limitação é temporária. Mas não pude deixar de pensar no desrespeito e negação dos direitos aos deficientes ou qualquer outra pessoa que por esta ou aquela razão se encontram em situações que exijam um melhor cuidado em sua deambulação.

    Sem dúvida, deve ser humilhante e constrangedor conviver diariamente com essa dificuldade.

    Apesar da Lei da Acessibilidade estar em vigor já há muitos anos, muito pouco ou quase nada se tem feito para facilitar a vida desas pessoas, que passam por experiências tristes ao transitar por calçadas precárias ou precisar adentrar estabelecimentos com vias de acesso quase sempre inviáveis.

    Vagas para deficiente ou idoso é como figurinha carimbada. Difícil de se encontrar disponível. Não é raro os casos em as mesmas são utilizadas por pessoas que delas não necessitam, pois não tem qualquer problema físico. Ocupam-nas com a justificativa de que “é só um minutinho” e descaradamente usurpam o direito do necessitado.

    Ainda falta muito para que a Lei seja totalmente implantada.. Enfrentamos o despreparo das cidades, a falta de cidadania, a omissão das autoridades.

    E assim, desprotegida, não vi outra alternativa senão procurar uma outra clínica onde pudesse estacionar e ter acesso mais fácil ao estabelecimento. Acabei encontrando após rodar algumas quadras.

    Com um pouco de dificuldade no transpor o calçamento de pedras irregulares, o saltitar de muletas foi penoso, mas não impossível. E pude então realizar o RX que vai me avalizar para a próxima etapa do meu tratamento.

    Ah! caminhar! Nunca me lembro de ter desejado tanto uma coisa na vida , como voltar a caminhar!

    É como sempre ouvi os mais velhos dizerem: Quando se tem saúde , tudo conseguimos. Tudo se torna mais fácil, embora só damos conta disso quando a perdemos.

    Perdê-la é facil. Já recuperá-la..... haja paciência!

     



    Categoria: cronicas
    Escrito por edimeli às 18h41
    [] [envie esta mensagem
    ] []



     
      [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]