Florada dos ipês

 

Florada dos ipês

Viajando semanalmente para Marília, nessa época de final de inverno seco, a companhia é quase sempre um céu  cinzento com sol pálido e um ar irritantemente pesado e poeirento.

Algumas cabeças de gado em meio às pastagens ressequidas onde a grama teima em não brotar devido ao longo período de estiagem. E como se não bastasse trechos aqui e acolá de restos de queimadas já começam  a surgir, sinal de que o homem já iniciou seu processo de destruição à natureza  poluindo o ar e desmineralizando o solo.

É em meio a esse cenário de natureza pré adormecida que ele surge altaneiro, deslumbrante em suas cores vibrantes. É a época da florada dos ipês. Quanto mais seco o clima, mais se enchem de flores abrindo-se em buquês aveludados que enchem nossos olhos de encantamento.

É a natureza ensinando que em meio à aridez também a brota a  beleza , a vida. Assim como de um coração árido também pode brotar o Amor e a esperança.

Um observador atento poderá notar ipês isolados florescendo por toda a campina, contrastando com a paisagem semi ressequida. Até onde nossa vista alcançar, enche-se os olhos com  insuperável beleza.

Descendo um pouco a serra me deparo com um cenário bucólico e de uma beleza inigualável.

Um ipê rosado altíssimo se ergue altaneiro ao lado de uma simples casinha de madeira. Um quadro que sugere simplicidade, romantismo, divindade... Criador e criação se misturam diante de meus olhos.

Um cenário que não pode ficar apenas na memória. Merece um clique.

E foi o que fiz. Como no momento não portava minha câmera digital, lá estava eu no dia seguinte para eternizar numa foto aquele cenário majestoso.  Um cenário que dura poucos dias. Em questão de 4 a 6 dias as pétalas começam a cair formando um belo tapete colorido.

O vento espalhará as sementes iniciando  um novo ciclo de vida.

É a natureza completando ciclos, e nos lembrando que a vida é tão delicada e efêmera como a florada dos ipês e deve ser apreciada na sua essência e com intensidade.