depressão...doença ou falta de fé?

 

Depressão..doença ou falta de fé

Eu detesto ter que tomar as tas pílulas “do bem estar”. Afinal pode nosso bem estar ficar condicionado a um micro comprimidinho? Bem, sei lá. Mas “eles devem conter uma química que vem equilibrar todas aquelas” “inas” “e” minas” que regulam o nosso bem estar, a capacidade de coordenar as idéias. Sabem do que estou falando?  Dos neuro transmissores cerebrais  envolvidos na sensação de bem estar. Então quando  serotonina, dopamina  e noradrelanina entram em desequilíbrio  ocorre  a “depressão”.  E para isso existe medicamentos que corrigem as alterações desses neurotransmissores promovendo o reequilíbrio químico no cérebro.

A depressão é assim, insidiosa, traiçoeira. Chega de mansinho, vai se instalando gradativamente. Quando você a percebe já está dominando seu querer, sua maneira de ver a vida, seu comportamento. Fatores externos podem desencadear a crise.

Situações difíceis na vida, frustrações, derrotas, perdas. Alguns sabem lidar melhor com os conflitos, os imprevistos da vida, os baques da vida.

Outros são mais susceptíveis. Mais propensos a se entregar à maligna.  Um vazio se instala. Tudo perde o colorido. O prazer antes obtido em certas atividades chega a ser um sacrifício. Não se consegue levar um projeto adiante.. Você quer, mas não consegue. Algo te prende. Falta-lhe motivação. Aí vem as crises de ansiedade, angústia, medo, pânico. Quando se percebe já se afastou de tudo e de todos..É incontrolável.

Nestes dias de crise tudo que eu queria era  ficar encolhida no meu quarto esperando a noite chegar. Apesar da insônia que me acompanha, a noite é o melhor momento para se estar só.

Quando chega nesse ponto “não basta apenas querer sair da crise”. É preciso um apoio clínico, e medicamentos usados no tratamento corrigem as alterações dos neurotransmissores.

Qualquer pessoa bem informada sabe que a medicina já comprovou que depressão é doença séria e merece tratamento clínico. Depressão não é sinal de fraqueza humana, falta do que fazer ou falta de objetivos que mantenham a pessoa ocupada. Claro que canalizar seus interesses para algo produtivo e satisfatório pode ajudar. Mas, em crise depressiva, não se consegue planejar nada. O interesse morre.  O apoio da família, o ajudar a pessoa a se valorizar, provocar estímulos, é de grande valia.

Alguns mais extremistas associam a depressão à falta de fé. Nunca ouvi absurdo maior. Como se religiosos estivessem imunes ao mal. Eu sou católica praticante. Busco a Deus a todo o momento e sinto-o presente na minha vida.  Mas em momentos de crise tenho dificuldade em rezar. Foge-me a concentração. Sinto-O distante.  Entre tantos desejos que cessam, cessa também o desejo de orar.

É um momento doloroso, crítico e de conflito interior. Uma busca intensa. Você quer rezar e não consegue. Sente-se só. Então eu confio. Fico quietinha e confio que Ele está ali do meu lado, como canal de graça, me confortando e dizendo. ”FILHA, tudo vai passar. Eu estou aqui”

Evitar ir à igreja é comum. Mas não pela igreja em si. É para fugir da aglomeração de pessoas. O deprimido quer ficar só. Concluo dizendo que não é a falta de fé que pode gerar a depressão, mas que a depressão pode “abalar a fé”.

Longe de mim querer tirar os méritos da “cura pela fé”, aliada claro a tratamentos químicos.   Sem dúvida alguma a fé  é que irá alimentar o “querer” encontrar uma saída. Deus como centro em nossas vidas irá ajudar na leitura interior e a necessidade de transformação. É o reencontrar-se.

O envolvimento com a Igreja oferece também oportunidades para interação social, favorecendo ligações com outras pessoas que podem agir como estímulo na melhora do quadro

A depressão é uma doença tão séria que já é preocupação da OMS. . Já está sendo chamada de “O mal do SECULOXXI” e estima-se que em 2020 a depressão será a 2ª moléstia que mais roubará tempo de vida útil da população, perdendo  apenas para as doenças cardíacas.

O objetivo desse texto é desmistificar a idéia que muitos fazem da depressão, uma doença séria, com a qual não se brinca. Independe de nossa vontade e não pode ser assim banalizada, rotulada com pejorativos.

E eu,  apoiada em medicamentos já me sinto melhor, ....alegria, alegria... Parto hoje para Goiânia. Vou conhecer meu netinho lindo já com 3 meses.Ficar um pouco longe dessa rotina também irá me fazer bem. Até mais. Daqui uns 15 dias voltarei com as novidades