AFinal, o que é felicidade?

Afinal, o que é a felicidade?

Não sou uma noveleira contumaz. Ultimamente as novelas estão muito apelativas. Muitas maldades, ambição desmedida, vida ilusória, futilidades e outros predicativos recheiam os folhetins de hoje. Mas em meio a tanta desqualificação, muitas vezes algo se aproveita.

A personagem de Cássia Kiss, no último folhetim das dezenove horas, “Morde e Assopra”, chamou-me a atenção  principalmente nos últimos capítulos quando me fez refletir sobre “o que é a felicidade”

Em meio a toda trama a personagem pobre e sofrida está disposta a “construir a felicidade”. Dela e do filho, um mau caráter e irresponsável.

Tem consciência de seus valores, apesar da extrema pobreza em que vive. Sabe que a “felicidade é construída tijolo a tijolo”. A felicidade supõe algo a ser edificado com materiais duradouros. Amor, bom caráter, responsabilidade, honestidade, são valores que ela cultiva e tenta passá-los ao irreverente filho.

Para ela felicidade não é ter uma bela casa, uma boa vida, carro na porta. Nada disso importa. Importa é conseguir colocar bons valores no filho, fazer dele um pai responsável, evitar a adoção do neto. Não recusa trabalho por mais humilde que seja desde que seja digno e ela consiga colocar comida na mesa honestamente. O que ela mais quer é ver a família unida e feliz, enquanto o filho usa dos piores artifícios para se dar bem na vida.

O conceito de “felicidade” muda de pessoa para pessoa. É algo subjetivo, mas não inatingível.

Enquanto uns almejam um bom emprego com um super salário e se desdobram para isso, outros apenas se contentam em ter uma família harmoniosa e feliz, onde todos compartilham juntos alegrias e tristezas.

Enfim, acredito que felicidade é mais que adquirir dinheiro e bens materiais, os quais são apenas caminhos para se obter algo mais que buscamos.

Pequenas recordações, boas amizades, pessoas que de alguma forma nos dão o seu melhor, somam-se e constituem a tão almejada felicidade

A felicidade está nas coisas simples de nosso cotidiano. Veja a felicidade no amanhecer, no entardecer ou anoitecer. Sinta a felicidade nos pequenos momentos passados com seu filho, seu neto, seus familiares e amigos. Veja a felicidade na chuva que cai renovando a paisagem ou no sol que nos acaricia. Veja a felicidade nos seus sonhos a realizar. Enfim, veja a felicidade na simplicidade.

Um dia, está longe demais. O tempo é impiedoso e os sonhos inconstantes. Conquiste-a agora.

Finalizando quero dizer que este é para mim um momento de grande felicidade. A perspectiva da viagem à Goiânia nesta semana, já me faz feliz. Poder passar um mês com meu neto, participar do seu dia a dia mesmo que por tempo definido, é para mim felicidade.

“A felicidade não ocupa todos os espaços, ela preenche intervalos”. (Fábio de Melo). Este é o meu “intervalo” de felicidade e pretendo aproveitá-lo bem.

Uma boa tarde e muitas felicidades para você, querido leitor, que veio até aqui e teve paciência em ler esse texto.

Aguardem-me. Após 30 ou 40 dias estarei de volta para contar as novidades!